sexta-feira, julho 23, 2010

E Ainda Duvidam da Criatividade da Internet.



Gostei muito da mensagem que recebi  por meio dessas mega listas e-mails que alguém inventa de repassar, a fim de fazer uma corrente de milhões de internautas. A maioria das vezes, eu nem perco tempo lendo essas mensagens. Vou logo excluindo tudo. Mas com essa foi diferente, e ao invés de raiva, eu sorrir bastante depois de refletir sobre o tempo que eu gastei naquela leitura.

Agradecimento....muito bom.....vale a pena ler.....‏

Eu quero agradecer a todos vocês pelos e-mails educacionais que tenho recebido. Estou totalmente arruinada e não tenho chance de recuperação, porque:

Eu não abro mais a porta do banheiro sem usar uma toalha de papel nas mãos; não bebo mais refrigerante com rodelas de limão ou laranja sem me preocupar com as milhares de bactérias na casca;

Eu não consigo mais usar o controle remoto em quartos de hotel porque não sei o que a última pessoa estava fazendo enquanto navegava nos canais adultos;

Eu tenho dificuldade em apertar a mão de alguém que estava dirigindo porque o passatempo predileto de alguém dirigindo é cutucar o nariz; Eu não consigo pegar numa bolsa de mulher com medo que ela a tenha colocado no chão de um banheiro público;

Eu tenho que mandar um agradecimento especial para quem me mandou uma mensagem falando do cocô de rato na cola de envelopes porque agora eu uso uma esponja úmida para cada envelope que precisa ser selado. Pela mesma razão, escovo vigorosamente cada latinha antes de abri-la; Eu não tenho mais economias porque dei para uma menina doente (Penny Brown) que está para morrer pela 1,387,258 vez.

Eu não tenho mais dinheiro mas isso vai mudar quando eu receber os 15.000 dólares que o Bill Gates/Microsoft e AOL vão me mandar por participar no programa especial de e-mail.

Eu não me preocupo mais com minha alma porque eu tenho 363,214 anjos olhando por mim, e a novena de Santa Theresa atendeu a todos os meus desejos. Eu não posso mais beber um drink num bar porque posso acordar numa banheira cheia de gelo sem meus rins.

Eu não posso mais usar desodorantes cancerígenos mesmo fedendo como um búfalo num dia quente.
GRAÇAS A VOCÊS aprendi que minhas preces só serão atendidas se eu enviar um email para 7 dos meus amigos e fizer um desejo em 5 minutos.

GRAÇAS Á SUA PREOCUPAÇÃO eu não bebo mais Coca Cola porque ela é capaz de remover manchas em privadas. Eu não abasteço mais o carro sem ter alguém vigiando o carro para que um serial killer não entre no banco de trás enquanto eu estou abastecendo.

Eu não bebo mais Pepsi ou Fanta porque as pessoas que produzem esses produtos são ateístas e se recusaram a colocar nas latinhas "Feito por Deus".

E OBRIGADA POR ME AVISAR que eu não posso esquentar um copo de água no microondas porque pode estourar na minha cara.... e me desfiguar para a vida inteira.
Eu não vou mais ao cinema porque me disseram que eu posso ser picada por num alfinete infectado com AIDS quando eu sentar.

Eu não vou mais a shopping centers porque alguém pode me drogar com uma amostra de perfume e me roubar.  Eu não recebo mais pacotes da UPS ou FedEx porque na realidade os entregadores são agentes disfarçados da Al Qaeda.

E eu não atendo mais telefones porque alguém vai me pedir que disque um número pelo qual eu vou receber uma conta com chamadas para a Jamaica, Uganda, Singapura e Uzbekistan, GRAÇAS A VOCÊ eu não uso outra privada que não a minha porque uma enorme cobra preta pode estar escondida dentro da privada e me matar instantaneamente quando picar minha bunda.

E GRAÇAS AO SEU ÓTIMO CONSELHO eu não me abaixo mais para pegar uma moeda caída no chão do estacionamento porque provavelmente foi colocada lá por um tarado sexual que estará esperando prá me agarrar por trás quando eu me abaixar...

Eu não dirijo mais meu carro porque comprando gasolina de algumas empresas, estou apoiando a Al Qaeda e se comprar das outras companhias, estou apoiando os ditadores sul-americanos.
Eu não mexo mais no meu jardim porque tenho medo que vou ser picado pela aranha madeira e minha mão vai cair.

Se você não mandar este email para pelo menos 144,000 pessoas nos próximos 70 minutos, uma pomba grande com diarréia vai pousar em sua cabeça amanhã às 17:00 horas, e as moscas de 120 camelos vão infestar suas costas, causando o crescimento de uma enorme corcunda cabeluda. Eu sei que isto vai acontecer porque aconteceu com a cabelereira da melhor amiga do segundo marido da prima da sogra de minha vizinha....

Ah, e a propósito....
Um cientista alemão da Argentina descobriu, após um longo estudo, que pessoas com pouca atividade cerebral leem seus emails com a mão sobre o mouse.
Não se preocupe em tirá-la pois é tarde demais e agora você já sabe!

P.S. Eu agora guardo minha escova de dentes no quarto, assim não corro o risco de contaminá-la com as bactérias da privada.

 ############################################################################################################















Religião e Poder no Estado Hebreu.

        
Apesar de não possuir cronologicamente a antiguidade das civilizações egípcia e mesopotâmica, os povos hebreus, sem dúvida, tem uma importância histórica incontestável, haja vista que a própria religião judaica moderna, ainda segue muitos dogmas e princípios originários dessa civilização. Pois bem, é válido ressaltar que, podemos considera a própria civilização hebraica como uma ponte cultural entre as civilizações orientais com as civilizações ocidentais. Muitos preceitos morais de origem hebraica ainda é muito utilizado na moralidade das diversas interpretações cristãs do período contemporâneo.

Outro ponto muito notável no estudo da civilização hebraica é a questão do monoteísmo ético que surgiu e se desenvolveu entre tal civilização, constituindo-se um ponto de partida do cristianismo e do judaísmo, principais religiões ocidentais. É muito importante ressaltarmos que, somente pelo fato do monoteísmo ético da religião hebraica, podemos já considerar os hebreus como um pequeno, mas grandioso Estado, contidos nas entrelinhas da Antiguidade histórica.

O hebraico é uma língua semita, pertencente ao mesmo grupo do aramaico e outros dialetos falados nas regiões mesopotâmicas. Pois bem, tal ligação, mostra a grande semelhança entre os mitos e histórias sumérias entre os povos hebreus.

Ao estudarmos sobre o inicio do povo hebreu, temos um valioso subsídio histórico; a Bíblia Sagrada. È válido ressaltar que, quando nos referimos a tal fonte histórica de caráter escrito, não fazemos ligação alguma com o princípio ou a mensagem dogmática que esta pode expressar nas suas entrelinhas. No sentido laico, podemos fazer uma análise sobre o caráter historiográfico da Bíblia, no que se refere a existência dos três patriarcas, Abraão, Isaac e Jacó que historicamente viveram no período inicial dos povos hebreus. É nesse momento que podemos aceitar o início do povoado hebreu, no momento em que esses se instalam na região de Jericó, e onde várias tribos lutam unidas, sob a chefia de Josué para conquistar um espaço, onde poderiam viver.

Um fato de singular importância sobre a análise histórica da civilização hebraica, fora a transição do período na qual, os hebreus deixaram de se organizar em torno de uma forma tribal e passaram a se organizar de uma forma monárquica, ou seja, o final da época dos Juízes, ou seja, pessoas que detinham a autonomia de organizar a tribo; e o início do período em que, os hebreus se organizam em torno da figura de um Rei. Foi nessa lacuna cronológica que os hebreus deixaram de ser uma sociedade marcada pela a ausência de uma propriedade particular de bens de produção, para se organizar em torno de uma nova realidade, fato esse que poderíamos descrever, através de uma narrativa bíblica: “O Rei se apropriava dos jovens do povo, transformando-os em soldados e cocheiros, em lavradores dos seus campos...”. Realidade essa que, tendo em vista o contexto histórico, não era novidade para nenhum povoado, ou seja, a população ser guiada em torno de uma liderança central e poderosa.

Trata-se de uma preciosa descrição da passagem de uma sociedade sem poder central, para uma monarquia, cuja organização exige mão-de-obra disciplinada a serviço da necessidade de manutenção de um corpo administrativo que se destina a tarefas não produtivas. É justamente nessa ocasião, que precisamos ressaltar que o caráter da religiosidade monoteísta teve um papel de deveras importância para sacralizar o poder “pelas graças de um deus”, fortalecendo ainda mais a organização monárquica e a submissão dos povos em torno da moralidade religiosa.

A organização do Estado se torna mais complexa e cara, os mercenários, que constituíam parte importante do exercito da monarquia de Davi, tinham de ser pagos, assim como tinham que haver recursos para as construções que edificava todo o luxo e a grandiosidade da civilização hebraica. E assim, o expansionismo e a pilhagem com absoluta certeza foi a principal saída econômica para a consolidação de qualquer grande império desse período.

Essa conjuntura sofre uma modificação, durante a monarquia de Salomão. Ele então descobre que agora uma outra forma de atividade comercial poderia render notórios lucros, ou seja, o comercio. Sabe-se que a mitificação do reinado de Salomão decorre do fato de ter sido ele o construtor do famoso templo de Jerusalém. Com isso, ocorre um fortalecimento do espírito religioso, é válido ressaltar que a presença de sacerdotes foi um predicado notável para essa época, uma vez que, essas pessoas tinham o ofício de servir como mediadores entre o sagrado e o profano. Ocorrendo assim, uma conotação hierárquica e verticalmente política ao quadro religioso.

O monoteísmo entre os hebreus, sem duvidas, é uma característica que historicamente tem que ser sempre ressaltado, no entanto, a análise da religiosidade hebraica se torna muito mais grandiosa, quando possamos visualizar a evolução que o Iavé sofreu, passando de um deus tribal, para uma divindade universal, sereno e representante de uma mensagem de justiça. Esse fato é muito importante, uma vez que, além do caráter espiritual, agora a própria religião passou a ser, a medida que ocorria mudanças políticas e econômicas no cotidiano dos povos hebreus, uma representante direta do inconsciente coletivo da nação, inconformada com a perca dos campos comunais de pastagem, insatisfeita com a centralização monárquica, da submissão social e de tantos tributos cobrados para a manutenção de um status quo sustentado pela representatividade do monoteísmo ético hebreu.

Referências Bibliográficas:
PINSKY, Jaime. As Primeiras Civilizações. 23Ed. São Paulo: Contexto, 2006.


############################################################################################################

















quarta-feira, julho 21, 2010

Falando um pouco sobre Pernambuco.

Ofereço a todos um resumo sobre Pernambco, importante estado, tanto para a históa, quanto para a economia e política do Brasil. Pensar sobre tal estado, é de uma forma ou de outra,  pensar sobe o próprio Brasil, uma vez que, o complexo desenvolvimento social e econômico que o estado vem protagonizando, o torna uma potencial locomotiva para o crescimento geral do país.



 PERNAMBUCO.

Pernambuco se configura como um dos menores estados do país, fazendo fronteira com a Paraíba e Ceará ao Norte, Alagoas e Bahia ao Sul. Tem 187 km de costa litorânea, excluindo a costa do arquipélago de Fernando de Noronha.

O relevo é moderado: 76% do território estão abaixo dos 600m. O litoral é uma grande planície sedimentar, quase que em sua totalidade ao nível do mar, tendo uns pontos abaixo do nível do mar. A altitude aumenta a medida que vamos nos afastando da costa. No agreste há picos com 1200m de altitude. O planalto da Borborema tem 600m de altitude média, o maciço dômico de Garanhuns e a Chapada do Araripe que tem em média 800m de altitude.

Na Zona da Mata vamos encontrar o relevo denominado de Mares de Morro. E na transição da Zona da Mata com o Agreste, encontramos a serra das Russas (Planalto da Borborema). No sertão, as cotas altimétricas decrescem em direção ao rio São Francisco formando em relação ao Planalto da Borborema uma área de depressão.

Na baixada litorânea encontramos tanto as praias protegidas pelos recifes, como uma faixa de terrenos cristalinos talhados em colinas. Seu clima recebe influencia da zona intertropical, logo apresenta temperaturas altas, entretanto o quadro climático é diversificado, devido a influencia do relevo e das massas de ar.

A caatinga é a vegetação predominante do estado, entretanto também encontramos a mata atlântica, os manguezais e cerrados também são encontrados.

Na hidrografia temos: o São Francisco, Ipojuca, Uma, Pajeú, Jaboatão, Beberibe, Capibaribe como rios importantes. E as lagoas: do Araçá e a Olho d,água, e os açudes do Prata e de Apipucos.

A população é de aproximadamente 7.918.344 habitantes, segundo o censo de 2000. As cidades mais populosas são: Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista e Caruaru.

Produção Econômica:

1. Agricultura:  Enconramos um destaque na cultura de:Cana de Açucar,Vinicultura e Fruticultura Irrigada.

2. Pecuária: Temos como principais rebanhos os gados: Bovinos,Ovinos,Caprinos,Equinos.

3. Indústria. A indústria do açúcar é uma presença histórica denro do estado, entretanto, contamos com o destaque de outros setores como: o Polo de Informática e o Polo Gesseiro.

4. Turismo. Com absoluta certeza, tal atividade econômica se configura como algo de grande valor para o estado como um todo, a produção cultural e as belezas naturais do estado são justificativas para uma grande atração de turistas de outros estados e outros países para as terras pernambucanas. O turismo, basicamente se concentra nos seguintes polos: Cidades Históricas, Litoral, Festas Populares,Turismo Ecologico, além do magnífico Arquipelago de Fernando de Noronha.

Regiões Pernambucanas.

REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE.
Área administrativa criada desde a década de 70 que passou a englobar 14 municipios: Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo, Camaragibe, Igarassu, Ipojuca,, Itamaracá, Itapissuma, Jaboatão, Moreno, Olinda, Paulista, Recife e São Lourenço da Mata. È a região que mais concentra renda do estado e seus municipios geram juntos, metades da riqueza produzida em Pernambuco.

REGIÃO DO AGRESTE.
Região intermediária entre a Zona da Mata e o Sertão. Caracteriza-se por uma economia diversificada com o cultivo de lavouras de milho, feijão, mandioca, como também o desenvolvimento da pecuaria leitera e de corte. Está dividida em MicroRegiões: Vale do Ipanema, Alto Capibaribe, Médio Capibaribe, Garanhuns e Brejos Pernabucanos.

REGIÃO DO LITORAL E ZONA DA MATA.
Uma das regiões mais ferteis do Estado, onde predomina o solo do tipo massapê. É formado por 57 dos 184 municipios pernambucanos. Sua economia esta concentrada na agroindustria açucareira. Está dividida em MicroRegiões: Recife, Suape, Mata Setentrional, Vitória de Santo Antão, Mata Meridional e Itamaracá.

REGIÃO DO SERTÃO E SÃO FRANCISCO.
É a maior região natural do estado, ocupando 70% do território pernambucano. No geral tem sua economia baseada na pecuária e no plantio de culturas de subsistência. Além de ser a região mais castigada pela seca que atingem o Semi-àrido Nordestino. Está dividio em 6 MicroRegiões: Araripina, Salgueiro, Pajeú, Moxotó, Petrolina e Itaparica.

 ############################################################################################################
















segunda-feira, julho 19, 2010

Coluna: Manuel Correia de Andrade.

Gilberto e Olinda.
Publicado em 27.05.2007

Foi muito oportuna a publicação, pela Editora Global, do livro de Gilberto Freyre, Olinda, 2º guia prático, histórico e sentimental da cidade brasileira, em sua sexta edição, com prefácio e notas de atualização do escritor Edson Nery da Fonseca. É um livro primorosamente ilustrado por Manoel Bandeira, que cuidou da primeira edição, e está acompanhado de mapa turístico, de Rosa Maria de Barros Carvalho, ostentando as capitulares e desenhos de Luís Jardim, revivendo a 2ª edição.

Os guias históricos e sentimentais de cidades brasileiras foram iniciados por Gilberto Freyre, com o do Recife, que em breve terá nova edição, e foram publicados nos anos 40, quando se pretendeu dar maior importância ao desenvolvimento do turismo no Brasil. Foram numerosos os guias então publicados, como o da Bahia, escrito por Jorge Amado, o de Santa Maria de Belém do Pará, de Leandro Tocantins, historiador acreano, o do Rio de Janeiro, de Vivaldo Coaracy, o de João Pessoa, de Ademar Vidal, entre outros.

São livros que, como o de Ouro Preto, do poeta Manuel Bandeira, estão a pedir novas edições, a fim de que circulem no mercado ao lado dos conhecidos guias comerciais de turismo, como ocorre na França, com os guias Michelin. É bom lembrar que guias de turismo não são apenas informativos, mas também históricos e literários. E famosos, como o do geógrafo anarquista francês Elysée Reclus, nos fins do século 19.

O Guia de Olinda é um primor de livro, nele Gilberto se revela um entusiasta da cidade histórica, que considera mãe do Recife, descrevendo seus monumentos, marca dos cinco século de história que a cidade atravessou, a importância de cada um deles é analisada em função do valor histórico e arquitetônico. Fala até da poesia que os fatos trazem, como, primeiramente, o nome da cidade, Olinda, que não está bem esclarecido, se da expressão de um criado galego do donatário, exclamando “Oh! Linda posição para uma vila!”, ou se do nome de alguma quinta portuguesa, de algum romance de cavalaria ou de alguma bela dama que o fidalgo reinol tenha amado.

Além de descrever monumentos, palácios, igrejas, capelas, chafarizes, pontes e passos, ele analisa a cidade dia a dia, suas missas, tedeums, procissões, a tragédia da invasão holandesa e a participação direta nas insurreições e lutas nativistas, como o episódio da prisão de Jerônimo de Mendonça Furtado, o Xumbergas, da Guerra dos Mascates, das revoluções de 1817, de 1821 e de 1844. É bom sempre lembrar que foi de Olinda que partiu para o Norte a coluna que procurou manter viva a ideologia republicana da Confederação do Equador, sob a liderança de frei Caneca.

Olinda foi ainda um centro educacional famoso, com o Colégio dos Jesuítas e em seguida com o Seminário do Bispo Azeredo Coutinho, onde se ensinava filosofia, teologia e desenho. Olinda seria cidade universitária, quando foi instalado, no Mosteiro de São Bento, o curso jurídico, posteriormente transferido para o Recife. Mesmo depois dessa transferência, Olinda continuaria um centro de estudos, com o Seminário Maior, formador de padres seculares, e escolas religiosas para sacerdotes regulares, beneditinos, carmelitas, franciscanos, etc.

Em certo período, quando perdeu para o Recife a categoria de capital, em 1827, Olinda passou a viver uma vida pacata e calma, não perdendo a categoria intelectual, tornando-se uma cidade de estudantes, clérigos, cônegos, sobretudo porque, quando d. João Perdigão transferiu a residência do Bispo para a florescente cidade do Recife, o Cabido, com seus cônegos, permaneceu na Sé de Olinda.

Hoje, Olinda ainda se destaca por suas belas e velhas igrejas, que merecem ser visitadas por turistas e moradores, como cidade universitária, onde funcionam instituições de ensino secundário e superior.

Ao lermos com vagar o livro de Gilberto, vem o desejo de reler o Guia do Recife, que brevemente será reeditado, e lastimar não dispormos de guias de cidade de menor porte, mas famosas, como Igarassu, Goiana, Itamaracá, Ipojuca, Rio Formoso, Sirinhaém, assim como de roteiros na área açucareira, como os dos vales do Capibaribe Mirim, do Siriji, do Capibaribe, do Ipojuca, do Sirinhaém, do Una e de tantos outros onde verdadeiras relíquias histórico-arquitetônicas vêm sendo destruídas.

» Manuel Correia de Andrade, historiador e geógrafo, é da APL.

 ############################################################################################################















Olinda - Pernambuco.




 ############################################################################################################















sexta-feira, julho 16, 2010

Algumas Questões Sobre a História do Brasil

Algumas questões selecionadas em provas de concursos e vestibulares de renomadas instituições de ensino pelo Brasil.

1) O Mercantilismo foi um sistema de política econômica, em vigor entre os séculos XV e XVIII, no qual os meios econômicos conduziam a fins de natureza política, Estes fins se resumiam:
A) Na tomada do poder político pela nobreza.
B) Na centralização e no fortalecimento do Estado nacional.
C) Na defesa de entidades supranacionais como o papado.
D) No expansionismo europeu, incorporando novas áreas.
E) No estímulo à livre competição e à livre iniciativa.

2) O mercantilismo foi um conjunto de idéias e de práticas econômicas dominantes na Europa,entre os séculos XIV e XVIII, que variou de Estado para Estado. Sobre o mercantilismo, assinale a alternativa correta.
A) Foi uma forma de exploração da natureza, empregada aos recursos minerais, vegetais, animais e humanos que obedecia a interesses imediatistas, sem preocupação com o futuro.
B) A Holanda praticava um tipo de mercantilismo conhecido como metalista e industrial que veio a desenvolver em parceria com a Espanha no século XVIII.
C) Portugal desenvolveu apenas o mercantilismo de plantagem, baseado na produção tropical destinada ao mercado internacional.
D) As refinarias de açúcar de Sevilha substituíram as refinarias de Portugal, na fase do desenvolvimento do mercantilismo industrial de Castela.
E) Companhias de comércio foram instaladas por todos os Estados mercantilistas européias, para reforçar a política comercial ou o colbertismo (referência a Colbert, ministro francês, que defendia o comércio de produtos baratos vendidos mais caros nos mercados coloniais).


3) As feitorias portuguesas no Novo Mundo foram formas de assegurar, aos conquistadores, as terras descobertas. Sobre essas feitorias, é correto afirmar que:
A) a feitoria foi uma forma de colonização, empregada por portugueses na África, na Ásia e no Brasil, com pleno êxito para a atividade agrícola.
B) as feitorias substituíram as capitanias hereditárias durante o Governo Geral de Mem de Sá, como proposta mais moderna de administração colonial.
C) as feitorias foram estabelecimentos fundados por portugueses no litoral das terras conquistadas e serviam para armazenamento de produtos da terra, que deveriam seguir para o mercado europeu.
D) tanto as feitorias portuguesas fundadas ao longo do litoral brasileiro quanto as fundadas nas
Índias tinham idêntico caráter: a presença do Estado português e a ausência de interesses de particulares.
E) o êxito das feitorias afastou a presença de corsários franceses e estimulou a criação das capitanias hereditárias.

4) Sobre a formação da sociedade brasileira, analise as alternativas abaixo.
1) A mulher gentia, além da base física da família brasileira, foi um valioso elemento da cultura material.
2) Os curumins e as cunhatãs foram, ao mesmo tempo, discípulos e mestres dos jesuítas.
3) O colonizador português, familiarizado com valores tropicais da Ásia e da África, amenizou a imposição de hábitos estranhos ao clima e à terra.
4) A presença negra na formação social brasileira deve-se unicamente ao grupo nigeriano, responsável pelo desenvolvimento da agricultura no Brasil.
5) Os bantos e sudaneses foram os principais grupos de africanos que participaram da formação social brasileira.
Está(ão) correta(s) apenas:
A) 1, 2, 4 e 5
B) 2, 3 e 4
C) 1, 2, 3 e 4
D) 5
E) 1, 2, 3 e 5

5) A Constituição de 1824, elaborada por "homens probos e amantes da dignidade imperial e da liberdade dos povos", segundo o Imperador Pedro I, continha uma novidade em relação ao projeto de constituição de 1823: a criação do Poder Moderador. Assinale a alternativa que melhor define este Poder.
A) Com base no Poder Moderador, o Imperador restringiu os poderes dos regentes unos - Padre
Diogo Feijó e Araújo Lima.
B) O Poder Moderador conferia à Câmara de Deputados a prerrogativa de vetar decisões do
Imperador.
C) A Constituição de 1824 conferia ao Poder Moderador, que era exercido pelo Senado, nomear e demitir livremente os ministros de estado, conceder anistia e perdoar dívidas públicas.
D) O Poder Moderador era o quarto poder do Império e era exercido pelo Imperador Pedro I. Com base neste Poder, o Imperador poderia dissolver a câmara dos deputados, aprovar e suspender resoluções dos conselhos provinciais e suspender os magistrados, entre outras prerrogativas.
E) O Poder Moderador de invenção maquiavélica, atribuído a Benjamin Constant, foi responsável pelo golpe da maioridade em 1840.

6) Sobre o papel dos militares no cenário que antecedeu a Proclamação da República no Brasil, analise as afirmações abaixo.
1) Mudanças na estrutura social do exército, ao longo do século XIX, deixaram a liderança dessa instituição e a elite aristocrática brasileira afastadas. Dessa forma, faltou à monarquia o apóio do exército.
2) Os baixos salários, as péssimas condições em que atuavam os militares brasileiros, nas guerras que o Império promoveu, e questões ideológicas relativas à escravidão levaram os militares a apoiar os ideais republicanos.
3) Militares do Exército fundaram o Clube Militar, que era uma associação corporativista permanente, para defender a abolição, o fim da Guerra do Paraguai e a República.
4) Os militares liderados por Caxias, o mais bem sucedido dos generais brasileiros, organizaram um ataque, pela imprensa, às instituições monárquicas, com vistas à proclamação da República.
5) As crises entre os militares e o governo brasileiro, a partir de 1883, foram conseqüência de uma insatisfação geral, em relação à participação daqueles militares na vida social e política do Brasil: os militares estavam proibidos de se pronunciarem através da imprensa e eram transferidos de uma região para outra, por questões políticas.
Estão corretas apenas:
A) 3, 4 e 5
B) 1, 2 e 5
C) 1, 2, 4 e 5
D) 1, 3 e 5
E) 2, 3 e 4

7) Assinale abaixo a alternativa que apresenta as ações desenvolvidas pelo governo brasileiro, durante o período do "milagre econômico" (1969 - 1973).
A) Grande plano rodoviário abertura ao capital estrangeiro, taxa média anual de crescimento do PIB de 8,0% e tolerância aos partidos políticos de oposição.
B) Combate à agitação social e à formação de grupos políticos radicais, retração do capital estrangeiro e taxa média anual de crescimento do PIB de 4,5%.
C) Início da política de distensão e abertura, combate à crise política e social, agravada pelas greves, e taxa média anual de crescimento do PIB de 11%.
D) Extinção dos partidos políticos, criação da Arena e do MDB e taxa média anual de crescimento do PIB de 8%.
E) Abertura ao capital estrangeiro, endividamento externo, repressão política e taxa média anual de crescimento do PIB de 11,1%.

8) As condições de vida dos escravos nos engenhos de açúcar eram precárias, marcadas pela violência e por constantes punições. É importante afirmar que a existência de escravos na sociedade colonial brasileira contribuiu para sedimentar desigualdades e dificultar a luta contra a metrópole portuguesa. Assim, a escravidão nesse período:
A) serviu de base para a sustentação econômica da colônia, embora se restringisse apenas à zona rural.
B) não se estendeu à pecuária, onde o trabalho indígena foi aproveitado com grande eficiência.
C) não apresentou resistência à prática violenta dos senhores; muitos escravos fugiam ou praticavam o suicídio.
D) serviu, como mão-de-obra, para consolidar o patriarcalismo e o desprezo pelo trabalho manual.
E) foi praticada apenas nas regiões onde houve grande produção agrícola para exportação.

9) Considerando a presença estrangeira no Brasil colonial, assinale a alternativa correta.
A) Os franceses conseguiram fundar a França Antártica no Rio de Janeiro, o que constituiu uma
ameaça para o poder dos portugueses.
B) A presença holandesa no Brasil está relacionada com a produção do açúcar, não tendo,
assim, nenhum conteúdo político.
C) O domínio holandês em Pernambuco contribuiu para recuperar, definitivamente, a economia
açucareira e diminuir a escravidão.
D) As capitanias hereditárias em algumas regiões contribuiu para a ocupação das terras brasileiras,
garantindo mais proteção contra estrangeiros.
E) A presença de europeus no território do Brasil está apenas relacionada com motivos religiosos
e políticos.

10) Sobre a produção cultural brasileira no século XX, analise as afirmativas abaixo.
1) A produção cinematográfica conseguiu projeção internacional com os filmes dirigidos por
Glauber Rocha, Nélson Pereira dos Santos, Walter Salles, entre outros.
2) Na segunda metade do século XX, os festivais da música popular brasileira contribuíram para renovar o meio artístico, destacando-se compositores como Geraldo Vandré, Chico Buarque de
Holanda e Caetano Veloso.
3) O surgimento da bossa nova trouxe novas perspectivas para a música brasileira, na década de 50, com a atuação destacada de Tom Jobim, Vinícius de Morais, João Gilberto, entre outros.
4) A atuação da televisão ampliou o mercado de trabalho para os artistas e ajudou na massificação da produção cultural.
5) Na década de 60, o movimento tropicalista renovou a produção musical da época e contribuiu para se repensar a identidade nacional.
Estão corretas:
A) 1, 2, 3, 4 e 5
B) 2, 3, 4 e 5 apenas
C) 4 apenas
D) 3 e 5 apenas
E) 1 e 4 apenas
 ############################################################################################################
























  

quarta-feira, julho 14, 2010

Questões de História do Brasil

Selecionei essas questões que aborda a História do Brasil por meio de uma apostila que tive acesso através de um Site voltado para a divulgação de resumos e apostilas para concursos públicos e vestibulares.

01. A Expansão Marítima Européia, as Grandes Invenções e o Renascimento Cultural caracterizam o período da História conhecido como
(A) Pré História;
(B) História Antiga;
(C) História Medieval;
(D) História Moderna;
(E) História Contemporânea.

02. Antes da expansão marítima portuguesa, a navegação comercial européia era particularmente intensa no
(A) Mar Báltico;
(B) Oceano Atlântico;
(C) Mar Vermelho
(D) Oceano Pacífico;
(E) Mar Mediterrâneo.

03. Nos Tempos Modernos, as ligações da África, da Ásia e da América à Europa via Atlântico, foram realizadas inicialmente apenas por:
(A) Portugal e Itália;
(B) Itália e Espanha;
(C) Portugal e Espanha;
(D) Espanha e França;
(E) França e Portugal.

04. As relações comerciais entre Portugal e o Brasil-Colônia eram controladas pelo mercantilismo, que estabeleceu o sistema de:
(A) metalismo;
(B) livre - comércio;
(C) monopólio;
(D) controle metalista;
(E) tarifas protecionistas.

05. No período pré-colonial brasileiro, a extração do pau-brasil foi responsável pela instalação, no litoral, das...
(A) Vilas;
(B) Cidades;
(C) Feitorias;
(D) fazendas;
(E) Igrejas.

06. O início da colonização portuguesa no Brasil foi assinalado pela:
(A) divisão do Brasil em dois Estados;
(B) fundação da cidade de Salvador; Afonso de Souza, 1530;
(C) criação do Governo Geral;
(D) expedição de Martim
(E) criação do sistema de Capitanias Hereditárias

07. O início do ensino no Brasil está diretamente ligado a uma ordem religiosa que muito tem contribuído no campo educacional. Estamos nos referindo à ordem dos padres:
(A) Dominicanos;
(B) Franciscanos;
(C) Jesuítas;
(D) Carmelitas;
(E) Barnabitas.

08. Durante o Brasil-Colônia, a economia brasileira girou em torno dos seguintes produtos:
(A) cacau, café e cana-de-açúcar;
(B) pau-brasil, cana-de-açúcar e ouro;
(C) cana-de-açúcar, pau-brasil e fumo;
(D) café, cacau e ouro;
(E) fumo, café e cana-de-açúcar.

09. Participaram da montagem da empresa açucareira brasileira, investindo capitais e participando das operações de refino e comercialização do produto:
(A) Holandeses;
(B) Espanhóis;
(C) Italianos;
(D) Ingleses;
(E) Franceses.

10. Pela atividade pecuarista nele desenvolvida, um rio no Brasil-Colonial foi denominado "Rio dos Currais". Ele é o:
(A) Tietê;
(B) Paraná;
(C) São Francisco;
(D) Paraíba do Sul;
(E) Parnaíba.

11. Região do Brasil-Colônia onde predominou o extrativismo vegetal das "drogas do sertão", com utilização da mão-de-obra indígena:
(A) Vale do São Francisco;
(B) Zona da Mata Nordestina;
(C) Mata dos Cocais;
(D) Pantanal Mato-grossense
(E) Vale Amazônico.

12. O deslocamento do eixo econômico do Brasil-Colônia do Nordeste para o Centro-Sul no século XVIII deveu-se:
(A) ao açúcar
(B) à mineração;
(C) à pecuária;
(D) ao pau-brasil;
(E) ao café.

13. A expressão popular "pai autoritário, mãe submissa e filho obediente" exemplifica a sociedade rural, no período do Brasil-Colônia. Esta sociedade possuía as seguintes características:
(A) fechada e industrial;
(B) feudal e aberta;
(C) matriarcal e mercantil;
(D) patriarcal e escravagista;
(E) monogâmica e livre.

14. A França Equinocial, criada no início do século XVII, foi uma tentativa de fixação dos franceses em (no):
(A) Pernambuco;
(B) Espírito Santo;
(C) Maranhão;
(D) Paraná;
(E) Rio de Janeiro.

15. Tratado de limites que deu ao Brasil sua aproximada configuração geográfica:
(A) Utrecht;
(B) Santo Idelfonso;
(C) El Pardo;
(D) Madri;
(E) Tordesilhas.

16. A revolta de Beckman no Maranhão (1684) se voltava, principalmente contra :
(A) os excessivos impostos na área mineradora;
(B) os jesuítas que eram contrários à escravização do gentio;
(C) os abusos da Companhia de Comércio do Estado do Maranhão;
(D)as letras "B" e "C" combinadas.

17. Líder do movimento nativista do período colonial que entrou em choque com as medidas adotadas pelos portugueses na área mineradora:
(A) Jerônimo Barbalho Bezerra;
(B) Manoel Beckman;
(C) Felipe dos Santos Freire;
(D) Manoel Nunes Viana;
(E) Bernardo Vieira de Melo.

18. A chamada "Guerra dos Mascates" teve como origem a rivalidade entre os habitantes de:
(A) São Paulo e Santos;
(B) Recife e Olinda;
(C) Recife e São Luiz;
(D) Recife e Salvador;
(E) Rio de Janeiro e Salvador.

19. O movimento de grande repercussão na História do Brasil, ao qual está associada a figura de Tiradentes, foi a:
(A) Guerra dos Mascates;
(B) Confederação do Equador;
(C) Revolta de Canudos;
(D)Conjuração Mineira;
(E) Revolução Liberal.

20. A Revolução Pernambucana e 1817 apresenta como uma de suas "causas":
(A) a Derrama;
(B) a criação das Casas de Fundição;
(C) a rivalidade entre Reinós e Mazombos;
(D) Elevação de Salvador à cidade;
(E) A decadência da produção açucareira nordestina.
 ############################################################################################################
























  

A Vida Deveria Ser de Trás pra Frente.

A coisa mais injusta sobre a vida, é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente.
Nós deveríamos morrer primeiro, se livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo.
Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria.
Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara pra faculdade.
Você vai pro colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando...
E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?
Charles Chaplim.


############################################################################################################















Mídia e Política (Uma Importante Reflexão)

O ano de 2006, como se sabe, foi um período que ocorreu eventos  como: Copa do Mundo e Eleições Presidenciais, assim como o corrente ano. E justamente a 4 anos atrás,  lí uma interessante matéria no Observatório da Imprensa que tratava sobre a relação entre o poder político com a mídia. Pois bem, nos ultimos anos, esse debate veio ganhando muito fundamento, se tornando uma bandeira de luta de diversos movimentos sociais espalhados pelo Brasil, envolvendo, não somente profissionais ligados as áreas de comunicação, mas também, uma série de atores sociais estão se envolvendo e se empoderando cada vez mais desse tão importante debate.

A necessidade de democratizar ou reformular a mídia é uma condição fundamental para podermos repensar sobre a organização política e social do país. A Imprensa, ou o também chamado de 4º Poder, tem, efetivamente um papel estratégico nas decisões políticas e na formulação da opinião pública brasileira. E com absoluta certeza, essas impensas em muitos casos deixam bem claro a que classe economica elas servem.

Enfim, deixo esse pequeno texto que foi publicado no ano de 2006 para que possamos REFLETIR um pouco na IMPORTÃNCIA do nosso VOTO para a construção do Brasil que tanto sonhamos.


Entre eleitos, 80 parlamentares controlam rádio ou televisão.

Por Alceu Luís Castilho em 25/10/2006
Reproduzido da Agência Repórter Social, 23/10/2006 / Retirado do Observatório da Imprensa.

Um terço dos senadores e mais de 10% dos deputados eleitos para o quadriênio 2007-2010 controlam rádios ou televisões. A Agência Repórter Social realizou um levantamento inédito sobre a posse de rádios e TVs por parlamentares, a partir de dados entregues por eles mesmos aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), na maior parte disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para alcançar o total de 27 senadores, a reportagem aproveitou o trabalho do Instituto de Estudos e Pesquisas em Comunicação (Epcom), do Rio Grande do Sul, que no ano passado divulgou uma lista que incluía os senadores que têm parentes com concessão de rádio ou/e televisão.

O mesmo vale para os deputados, desta vez conforme a lista divulgada em 2005 pelo professor Venício de Lima, da Universidade de Brasília, sobre os deputados que aparecem diretamente na relação de concessionários de rádios e TVs do Ministério das Comunicações. Segundo Lima, a lista de deputados que têm parentes com concessões ainda não feita, e deve fazer o número de deputados com controle de rádio e televisão passar de 100.

Conflito de informações:

Os dados do TSE mostram que há parlamentares que estão nas listas do Epcom e da UnB, mas não declararam os bens, em 2006 (ou 2002, no caso de senadores eleitos nesse ano e que não foram candidatos a algum cargo eletivo este ano) ao TSE. É o caso dos deputados reeleitos Mauro Benevides (PMDB-CE), Pedro Fernandes (PTB-MA). Marcondes Gadelha (PTB-PB), Moacir Micheletto (PMDB-PR), José Mendonça (PFL-PE), Mussa Demes (PFL-PI), Alexandre Santos (PMDB-RJ), Luciano Castro (PL-RR) e Sandra Rosado (PSB-RN). No caso de Átila Lira (PSDB-PI), o TSE não divulgou a declaração de bens.
Da mesma forma, há parlamentares, e não só aqueles que assumirão o cargo em 2007, que não aparecem nas listas do Epcom e do Núcleo de Estudos sobre Mídia e Política da UnB, mas que declararam, em 2002 ou 2006, possuir pelo menos uma rádio ou televisão.

Esse é o caso do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e dos deputados José Mendonça (PFL-PE), Léo Alcântara (PSDB-CE) e Henrique Alves (PMDB-RN).

A lista de novos parlamentares concessionários de rádio e televisão inclui o ex-presidente Fernando Collor (PRTB-AL) e o ex-governador Jayme Campos (PFL-MT), entre os senadores, e o deputado paulista Antonio Carlos Bulhões, um dos que mais possuem cotas de rádio e TV. (Ver aqui a lista de acordo com os valores declarados.)

Trampolim da Vitória:

Uma das rádios do senador Garibaldi Alves (PMDB), candidato ao governo do Rio Grande do Norte, chama-se Trampolim da Vitória. Ele possui mais sete rádios no Estado e duas televisões em Natal – uma retransmissora do SBT, outra da Rede Globo. O fenômeno das concessões de rádio e TVs por parlamentares é definido por Venício de Lima e por James Görgen, do Epcom, como "coronelismo eletrônico".

O número de senadores poderá diminuir caso Roseana Sarney (PFL-MA), Garibaldi Alves e José Maranhão (PMDB-PB) sejam eleitos governadores no segundo turno. A lista já deixou de fora o senador Paulo Octávio (PFL-DF), eleito vice-governador, e incluiu o suplente do senador Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL), João Tenório, com a eleição de Teotônio ao governo alagoano.
Poderosos

Entre os detentores diretos ou indiretos de concessões estão dois ex-presidentes, José Sarney (PMDB-AP) e Collor, e 11 ex-governadores: Antonio Carlos Magalhães e César Borges (PFL-BA), Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), Mão Santa (PMDB-PI), Garibaldi Alves (PMDB-RN), Jayme Campos (PFL-MT), Jorge Bornhausen (PFL-SC), José Maranhão (PMDB-PB), Edison Lobão e Roseana Sarney (PFL-MA) e Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Dezenove senadores, desse grupo de 27 com concessões de rádio ou televisão, declararam os bens aos Tribunais Regionais Eleitorais, em 2002 ou 2006. Os demais estão na lista elaborada pelo Epcom.
Alguns eleitos em 2002 também declararam seus bens em 2006, por serem candidatos a governador (Roseana Sarney, José Maranhão, Antero Paes de Barros, Garibaldi Alves, Mão Santa, Marcelo Crivella, Romero Jucá) ou vice (Leonel Pavan).

Além dos senadores, inúmeros deputados com rádio e TV estão entre os mais influentes da Câmara. É o caso de Inocêncio Oliveira (PL-PE) e Jader Barbalho (PMDB-PA), ex-presidentes da Câmara e do Senado, e do ex-ministro das Comunicações Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Entre os deputados reeleitos 12 estão na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, justamente a responsável pela aprovação ou renovação de outorgas. São eles: Aníbal Gomes e Eunício Oliveira (PMDB-CE), Jader Barbalho, Fábio Souto (PFL-BA), José Bezerra (PFL-PE), José Rocha (PFL-BA), Júlio César (PFL-PI) e Ricardo Barros (PP-PR), todos como titulares, e dos suplentes Henrique Alves, Arolde de Oliveira (PFL-RJ) e Manoel Salviano (PSDB-CE).

Dois senadores (Marcelo Crivella e Wellington Salgado) estão na subcomissão permanente de Cinema, Teatro, Música e Comunicação Social; e dois (Flávio Arns e o mesmo Wellington) na subcomissão permanente de Ciência e Tecnologia.

Sem rádio:

O senador licenciado Hélio Costa, ministro das Comunicações, não possui mais uma rádio em Barbacena (MG), conforme a declaração feita em 2002. Em seu lugar no Senado está o suplente Wellington Salgado, que possui 50% da Rede Vitoriosa de Comunicações e 6.550 quotas da Radio Hit-Parade Ltda, e é um dos primeiros na lista dos que têm rádios e TVs mais valiosos.

############################################################################################################
















segunda-feira, julho 12, 2010

Originalidade no Artesanato Pernambucano

De fato, a riqueza cultural de Pernambuco é algo inquestionável. Vejam a "ousadia artística" desse pequeno artesanato de barro que está à venda em um mercado de artes, situado no sítio histórico de Olinda, no Alto da Sé, ao lado do Museu de Arte Sacra da Cidade.




############################################################################################################















sábado, julho 10, 2010

11 Anos da Morte de Francisco Julião - 10/07/2010.

Uma singela homenagem a esse grande herói do povo brasileiro nas lutas pela igualdade e principalmente por uma implementação de uma verdadeira Reforma Agrária no Brasil.

"É agitando que se transforma a vida, o homem, a sociedade, o mundo".
(Francisco Julião).


No último dia 10 de julho, lembramos os 11 anos da morte do maior ícone das lutas agrárias de Pernambuco e do Brasil. Francisco Julião - O grande defensor das Ligas Camponesas.

Quando nos reportamos a temas referentes a reforma agrária, luta campesina e sindicalismo rural, com absoluta certeza, ter como referência chave a atuação do lider das Ligas Camponesas, advogado e ex-deputado, Francisco Julião, é condição sine qua non para a efetivação de um diálodo lógico sobre as temáticas citadas.

Pois bem, sabe-se que a lição social e política deixada por Julião foi, sem dúvida, uma das maiores da história do Brasil. Lutar pelos camponeses e trabalhadores desvalidos do Engenho da Galiléia - Vitória de Santo Antão, defendendo-os das tristes condições de miséria e exploração, foi a grande atuação desse revolucionário que protagonizou a luta pela Reforma Agrária no Brasil.

Muito que aprendemos com o advento das Ligas Camponesas e das atuações de Julião, proclamando uma Reforma Agrária "Na lei ou na marra", mostra o quanto essa luta ainda é contemporânea aos nossos tempos, e encoraja bastante os demais movimentos populares, no campo e na cidade a continuarem firme nas lutas socais, almejando a construção de um país mais justo e igualitário.


Eis a nossa homenagem aos 11 anos de morte desse HERÓI BRASILEIRO!!

JULIÃO VIVE!!!!


"Agitador, sim! Como é possível conceber a vida sem agitação? Porque o vento agita a planta, o pólen se une ao pólen de onde nasce o fruto e se abotoa a espiga que amadurece nas searas. O gameto masculino busca o óvulo porque há uma causa que o agita. Se o coração não se agita, o sangue não circula e a vida se apaga."


FRANCISCO JULIÃO.

############################################################################################################



















É Barriga - Arnaldo Jabour

Barriga é barriga, peito é peito e tudo mais. Confesso que tive agradável surpresa ao ver Chico Anísio no programa do Jô,dizendo que o exercício físico é o primeiro passo para a morte.

Depois de chamar a atenção para o fato de que raramente se conhece um atleta que tenha chegado aos 80 anos e citar personalidades longevas que nunca fizeram ginástica ou exercício - entre elas o jurista e jornalista Barbosa Lima Sobrinho - mas chegou à idade centenária, o humorista arrematou com um exemplo da fauna:

A tartaruga com toda aquela lerdeza, vive 300 anos.
Você conhece algum coelho que tenha vivido 15 anos?

Conclusão: Esteira, caminhada, aeróbica, musculação, academia? Sai dessa enquanto você ainda tem saúde...
E viva o sedentarismo ocioso!!!

Não fique chateado se você passar a vida inteira gordo.
Você terá toda a eternidade para ser só osso!!!

Então: NÃO FAÇA MAIS DIETA!!

Afinal, a baleia bebe só água, só come peixe, faz natação o dia inteiro, e é GORDA!!!
O elefante só come verduras e é GORDOOOOOOOOO!!!!

VIVA A BATATA FRITA E O CHOPP!!!
Você tem pneus??? Lógico, todo avião tem!!!
(Arnaldo Jabour)

############################################################################################################















O Professor Está Sempre Errado - Jô Soares

O material escolar mais barato que existe na praça é o professor!
É jovem, não tem experiência.
É velho, está superado.
Não tem automóvel, é um pobre coitado.
Tem automóvel, chora de "barriga cheia'.
Fala em voz alta, vive gritando.
Fala em tom normal, ninguém escuta.
Não falta ao colégio, é um 'babão'.
Precisa faltar, é um 'turista'.
Conversa com os outros professores, está 'malhando' os alunos.
Não conversa, é um desligado.
Dá muita matéria, não tem dó do aluno.
Dá pouca matéria, não prepara os alunos.
Brinca com a turma, é metido a engraçado.
Não brinca com a turma, é um chato.
Chama a atenção, é um grosso.
Não chama a atenção, não sabe se impor.
A prova é longa, não dá tempo.
A prova é curta, tira as chances do aluno.
Escreve muito, não explica.
Explica muito, o caderno não tem nada.
Fala corretamente, ninguém entende.
Fala a 'língua' do aluno, não tem vocabulário.
Exige, é rude.
Elogia, é debochado.
O aluno é reprovado, é perseguição.
O aluno é aprovado, deu 'mole'.

É, o professor está sempre errado, mas, se conseguiu ler até aqui,
agradeça a ele!

############################################################################################################