sexta-feira, agosto 26, 2011

O Papel dos Comunistas Para a Construção do Socialismo no Brasil.


Não podemos negar que o socialismo é uma necessidade vital para a classe trabalhadora brasileira. Uma vez que, as contradições sociais inerentes ao sistema capitalista corroboram com a leitura de que esse modelo de produção precisa ser superado, já que o mesmo está falido e, principalmente, desmoralizado.

Quando enxergamos que o mundo capitalista está erguido sobre uma base socio-econômica marcada pela exploração humana, pelo imperialismo, pela guerra e pela exclusão social, somos obrigados a nos manifestar, a favor de uma ruptura com essa lógica que mercantiliza as relações sociais e que aliena as instituições políticas. É nesse momento que passamos a defender um projeto democrático, popular e socialista para construir assim, uma sociedade mais justa, igualitária e fraterna.

Diante da atual conjuntura, podemos avaliar que a nossa realidade é otimista , mas ainda precisamos conquistar as condições necessárias para um projeto socialista voltado ao povo brasileiro. Ou seja, é necessário avaliar que a nossa situação tem que ser interpretada como uma etapa relevante para o avanço das lutas e do desenvolvimento. O jogo não está ganho para nenhum dos lados. E justamente por isso, é preciso ter ousadia e resiliência, para que possamos aprender e crescer com os nossos erros e assim, promover um debate mais fecundo e ideológico dentro da esquerda socialista.

Temos então, a reponsabilidade de formular uma verdadeira teoria revolucionária para o Brasil, inspirado nas lutas populares e nas experiências políticas ocorridas no país durante toda a sua história. Precisamos disputar e ocupar mais espaços dentro da sociedade, para que nossas ideias sejam amplamente divulgadas. Precisamos mobilizar e conscientizar o povo brasileiro, para multiplicarmos nossas forças, frente ao debate ideológico que temos que travar contra uma esquerda reacionária e uma elite conservadora.

É preciso garantir condições necessárias para endurecermos as lutas. E para chegarmos a esse patamar, torna-se necessário a mobilização popular, a solidariedade aos demais países na luta contra o imperialismo e a formação de um proletariado consciente de seu papel revolucionário, para construção histórica de uma republica dos trabalhadores.

E é nessa conjuntura que o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) retoma o seu prestígio frente ao povo brasileiro e vai a luta, a fim de garantir as reformas necessárias para impedir que o capitalismo se reconstrua nesse atual momento de crise e que no seio de suas contradições, possamos unir forças para a supreção total desse nefasto modo de produção que parasita a juventude, descrimina as mulheres, e explora os trabalhadores.

quinta-feira, agosto 25, 2011

Exercício Sobre o Existencialismo.


1)O principal filosofo que representou o pensamento Existencialista era:
a)Ortega y Gasset.
b)Jean Paul Sartre.
c)Georg Hegel.
d)Immanuel Kant.
e)Karl Marx.

2)Segundo o pensamento existencialista a principal forma de reconhecimento sobre o outro seria:
a)Através da socialização que nos dá interpretações sobre a verdadeira essência das pessoas.
b)Através do Amor, onde podemos enxergar um pouco de nós mesmos nas outras pessoas.
c)Através do diálogo, somente conhecendo as idéias do outro que conhecemos a sua natureza.
d)Através do convívio parcial, ou seja, apenas algumas horas com outra pessoa podemos conhecê-la.

3)As ações de todos os seres humanos estão ligadas a busca pelo suprimento das necessidades vitais do próprio ser. Pois bem, segundo o Existencialismo o futuro seria:
a)O resultado de ações humanas destinadas a busca por algo que completa a existência.
b)O resultado de contradições de um passado próximo.
c)O resultado dos contrastes sociais dos tempos remotos.
d)O conjunto de ações da humanidade que retrata o progresso e a evolução.

4)O principal objeto de estudo do Existencialismo seria:
a)A busca por uma sociedade igualitária e sem classes sociais.
b)A presença do ser humano no convívio social
c)O Homem concreto, que se relaciona com outras pessoas e que sempre está buscando um sentido para a sua vida.
d)A ideologia que busca interpretar a existência da humanidade como algo infinita, universal e absoluta.

5)Para os existencialistas a idéia de coexistência consiste em afirmar que a relação com outros indivíduos é algo essencial para a vida humana. Pois bem, dos princípios da Coexistência abaixo, marque a alternativa que não corresponde a essa temática:
a)A solidariedade.
b)O Individualismo.
c)O Amor.
d)A Amizade.
########################################################################################################## 














 

terça-feira, agosto 23, 2011

Admirável República dos Tiriricas: Os Fatos Mais Interessantes da Política Tupiniquim.

Achei muito relevânte postar esse poema que recebi por e-mail  que é da autoria do jornalista pernambucano, Marcelo Mario de Melo. Por meio de suas palavras pude refletir sobre questões inerentes às práticas políticas instituídas na nossa digníssima República dos Tiriricas. Diante disso, quero socializar essa minha reflexão aos demais companheiros.


Perguntas Incômodas
Marcelo Mário de Melo

Esquecer compromissos programáticos é de esquerda?
Vetar debates é de esquerda?
Plantar notícias anônimas é de esquerda?

Dar rasteira em companheiro é de esquerda?
Casuísmo é de esquerda?
Eleitoralismo é de esquerda?

Cupulismo é de esquerda?
Populismo é de esquerda?
Nepotismo é de esquerda?

Autopromoção é de esquerda?
Primeiro-damismo é de esquerda?
Apropriar-se ou descuidar-se de recursos públicos é de esquerda?

Caixa-2 é de esquerda?
Perpetuar-se em diretorias de entidades é de esquerda?
Boca de urna paga é de esquerda?

Abusar ou omitir-se de autoridade é de esquerda?
Fazer perguntas incômodas é de direita?

 ############################################################################################################
























Download: O Livro de Ouro da Mitologia -Thomas Bulfinch.

BULFINCH, Thomas. O Livro de Ouro da Mitologia.
Download: 4Shared

############################################################################################################

Os Modos de Produção.



Segundo Persio Santos:


O modo de produção é a maneira pela qual a sociedade produz seus bens e serviços, como os utiliza e como os distribui. Assim, numa determinada época histórica, uma sociedade tem uma certa maneira de se organizar para produzir e para distribuir sua produção. O modo de produção de uma sociedade é formado por suas forças produtivas e pelas relações de produção existente na sociedade. (p. 50)


Entendemos por modo de produção, como as formas de apropriação dos meios de produção em um determinado tempo histórico. Assim, podemos afirmar que na vida em sociedade, sempre existirá algum tipo de modo de produção. No entanto, não podemos entender por completo sobre os modos de produção, por meio dessa simples explicação, uma vez que, ao trabalharmos os modos de produção, precisamos ter um entendimento mais complexo, a respeito de conceitos de infraestrutra e superestrutura, conceitos esses, que podemos ter na literatura marxista como uma base fundamental.

A forma na qual a sociedade se apropria dos meios de produção e cria as suas relações de produção, tendo em vista as suas forças produtivas são as condições materiais para o surgimento de um corpo jurídico e político, de caráter ideológico sobre essa estrutura material. Ou seja, todas as concepções sociais do indívíduo são construídas pelas suas bases materiais. A essas bases materiais chamamos de infraestrutura, já as abstrações jurídicas e políticas, chamamos de superestrutura. Diante disso, podemos entender que, segundo Marx, as relações de produção forma, de fato, o alicerce econômico de uma sociedade, e sem essa base, não poderíamos ter mais nenhuma superestrutura jurídica e política. Assim, o modo de produção é aquilo que condiciona uma vida social regida por abstrações políticas e jurídicas.

Os Modos de Produção:
01. Modo de Produção Primitivo:

Está ligado, principalmente ao momento na qual o homem passou a viver de uma forma sedentária, desenvolvendo assim, técnicas agrícolas e de domesticação de animais. Nesse momento o uso coletivo dos meios de produção contribuía para a criação de uma sociedade comunal, pautada em valores coorporativistas e sem a ideia de uma propriedade privada. Assim, as relações de produção e os meios de produção são coletivos. Os homens trabalham por si e por todos.

02. Modo de Produção Escravista ou Asiático.

Foi o primeiro modo de produção a estabelecer um conceito de propriedade privada, seja na propriedade de terras, como também de escravos. Esse modo de produção se encontra presente nas civilizações antigas. E por criarem a noção de propriedades materiais privadas, foi necessário, também a criação de uma instituição política e jurídica com objetivos de proteção à propriedade privada, garantia da ordem social, como também, responsável pela justiça. Temos assim o surgimento do que chamamos de Estado.

03. Modo de Produção Feudal.

Modo de Produção presente nas sociedades medievais, marcados pelas relações de suserania e vassalagem, onde a propriedade de terra , sendo considerada como o principal meio econômico, favorecia o surgimento de relações sociais, pautadas na servidão e no pagamento de tributos a uma pequena nobreza, detentora do meio de produção pelo grande contingente populacional que formava a classe camponesa que trabalhava para garantir a sua sobrevivência e a de sua família, por meio da agricultura de subsistência.

Esses camponeses estavam sujeitos a uma série de obrigações para com o senhor das terras, dentre as quais a mais importante era o trabalho forçado em determinados dias da semana diretamente nas terras administradas pelo senhor feudal. A submissão ao senhor também podia se traduzir na obrigação de entregar o excedente da produção agrícola ou, no momento de decadência do sistema, do pagamento de taxas e impostos por dinheiro obtido no comércio dos bens produzidos pelos camponeses.

04. Modo de Produção Capitalista.

O sistema capitalista surgiu em meio as próprias contradições internas do sistema feudal em paralelo ao desenvolvimento das atividades comerciais protagonizadas pela classe burguesa. O capitalismo está alicerçado na propriedade dos meios de produção por uma classe minoritária. Essa elite detentora do Capital, praticamente obriga o trabalhador a vender a sua força de trabalho em troca de um salário. É nesse momento que a condição de servo, oriunda do feudalismo perde espaço para o trabalho assalariado. Portanto existem basicamente duas classes sociais, a burguesia e os trabalhadores.

A produção é feita para garantir os interesses de uma sociedade burguesa e de consumo. A produção é voltada exclusivamente para o obtenção de lucro, com base na exploração dos trabalhadores, que são obrigados, pelas relações econômicas a conviverem em uma sociedade pautada por uma lógica de mercado. O modo de produção capitalista, desde o fim do período medieval até a contemporaneidade é o modelo predominante no mundo, sua hegemonia secular se deu por meio da sua característica de autotransformação, que foi desde o capitalismo mercantil, passando pelo capitalismo liberal, industrial e neoliberal.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

MARX. Karl. Introdução à Contribuição para a Crítica da Economia Política. São Paulo. Expressão Popular, 2007.

OLIVEIRA, Pérsio Santos. Introdução à Sociologia. São Paulo. Ática, 1991.

##########################################################################################################  






















 

segunda-feira, agosto 22, 2011

Entenda Um Pouco Sobre A Constituição Brasileira.


A leitura do Preâmbulo da nossa Constituição é uma ação de grande relevância para podermos compreender um pouco mais sobre a organização do Estado brasileiro. Esse texto impresso na própria Constituição relata de forma geral sobre a origem, as justificativas, os objetivos, os ideais e os valores que permeiam o texto constitucional.


Preâbulo da Constituição Brasileira de 1988:

"Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte, para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte Constituição da República Federativa do Brasil".

sexta-feira, agosto 19, 2011

19 de Agosto: Dia do Historiador.

Quero aproveitar essa data para prestar as minhas homenagens a todos os historiadores do Brasil que são responsáveis pela promoção de um verdadeiro encontro entre população e a sua idêntidade histórica. O dia do Historiador foi criado por maio da Lei 12.130/09 que regulamentou a profissão de historiador no país e instituíndo o dia 19 de Agosto como o dia de todos esses profissionais que são responsáveis pela compreensão do nosso cotidiano, por meio das interpretações obtidas sobre as diversas fontes históricas deixadas pela humanidade ao longo do tempo. A citada lei foi elaborada pelo senador Cristovam Buarque (PDT), após muitos debates promovidos por estudantes, professores e pesquisadores da área de história.

É válido ressaltar que a data também serviu como uma homenagem ao nascimento do grande abolicionista, Joaquim Nabuco. Diante disso, a presente data, carrega consigo uma série de significados históricos que corroboram ainda mais com a necessidade de se valorizar todos esses profissionais que detém um papel de singular relevância para a construção de um entendimento racional sobre a nossa realidade.


quinta-feira, agosto 18, 2011

Admirável República dos Tiriricas: Os Fatos Mais Interessantes da Política Tupiniquim.

Infelizmente, não podemos descordar que os escândalos políticos já são "acontecimentos" enraizados na programação política de nossa Admirável República dos Tiriricas. E dentre tantos desvios de recursos públicos e escassez de condutas éticas, presenciamos constantemente um verdadeiro "entra e sai" de ministros e secretários nos diversos cargos das diversas instituições públicas.

E assim, surgem os novos discursos como justificativa das velhas práticas políticas. No entanto, podemos avaliar que a situação pode piorar, principalmente, quando ocorre o reaparecimento de "velhas caras" nesse amplo e lucrativo picadeiro político. É nesse momento que nos convencemos que a situação é de urgência.



 ############################################################################################################
























segunda-feira, agosto 15, 2011

Elogiando as Utopias & Cortejando o Absurdo - Joseph Joubert.



"Em política, sempre é preciso deixar um osso para a oposição roer". (Joseph Joubert).

############################################################################################################















Edgar Vasques: Rango.


############################################################################################################















Coluna: Os Malvados.

############################################################################################################














As Aventuras da Família Brasil - Luis Fernando Veríssimo.


 ############################################################################################################



















domingo, agosto 14, 2011

Exercício Sobre As Cruzadas.

01. Observe, a seguir, uma imagem européia, do século XII, mostrando um cruzado em luta com um muçulmano, representado com traços ani­malescos. Os árabes também viam os cristãos como selvagens, a exemplo das palavras de um soldado muçulmano: “os europeus são animais que possuem as virtudes da coragem e da luta, mas nada mais”.


A respeito das Cruzadas, analise as afirmativas a seguir:

I. Os árabes conquistaram Jerusalém em 638, construindo um dos seus locais mais sagrados, a mesquita no Monte do Templo. Nos séculos seguintes, muçulmanos, cristãos e judeus conviveram em razoável harmonia, situação alterada em 1071, quando os turcos (muçulmanos, mas não árabes) tomaram a cidade e massacraram cristãos e judeus. Considera-se esse fato como uma das causas imediatas das Cruzadas.

II. As Cruzadas foram um movimento bastante impopular entre os camponeses e outros indivíduos pobres na Europa. As pessoas eram obrigadas a juntarem-se aos exércitos, abandonando suas famílias e correndo o risco de que suas terras fossem tomadas pelos nobres. Por outro lado, os reis europeus também foram contrários às Cruzadas, porque percebiam nelas uma fonte de fortalecimento do poder do Papa.

III. As Cruzadas, embora não tenham alcançado seu objetivo principal (a conquista da Terra Santa), trouxeram consideráveis conseqüências para a Europa. As cidades comerciais italianas alcançaram uma grande riqueza, transportando cruzados e peregrinos para a Palestina. A Igreja Católica também se fortaleceu, pois utilizou os cruzados para combater as heresias dentro da própria Europa.

Está(ão) correta(s) apenas:
a) III
b) I e III
c) II e III
d) I
e) II

02. Com relação às Cruzadas, é correto afirmar que:

a) representam, em última instância, a crise do sistema feudal;
b) a Primeira Cruzada foi convocada por Inocêncio III;
c) a Terceira Cruzada conquistou a cidade de Jerusalém;
d) a Quarta Cruzada foi conduzida por Ricardo Coração de Leão;
e) Dandolo, doge de Veneza, fez um acordo com o sultão Saladino durante a Sexta Cruzada.

03. Sobre as Cruzadas, expedições militares de inspiração religiosa e comercial empreendidas entre os séculos XI e XIII, assinale o que for correto.

0 - 0 Uma das motivações das Cruzadas foi a libertação da Terra Santa (Jerusalém) do controle dos chamados infieis (muçulma-nos).
1 - 1 Ao mesmo tempo em que acirraram a hostilidade entre cristãos e muçulmanos, as Cruzadas estimularam as atividades co-merciais e as trocas culturais entre eles.
2 - 2 A Cruzada Popular ou dos Mendigos foi um movimento que reuniu milhares de cristãos seduzidos pelas pregações de um monge católico, entre os quais se encontravam desvalidos, velhos, mulheres e crianças.
3 - 3 A criação do termo Cruzadas teve como inspiração a cruz bordada nas vestes dos soldados cristãos que se dirigiam para o Oriente.
4 - 4 Muitos nobres cristãos viram nas Cruzadas uma oportunidade de ampliar seus domínios territoriais e, consequentemente, suas riquezas pessoais.

04. As Cruzadas são tradicionalmente definidas como expedições de caráter “militar”organizadas pela Igreja, para combater os inimigos do cristianismo e libertarem a Terra Santa (Jerusalém) das mãos desses infiéis.O movimento estendeu-se desde os fins do século XI até meados do século XIII .Sobre esse assunto, assinale a alternativa INCORRETA.

a)O termo Cruzadas passou a designar esse movimento em virtude de seus adeptos serem identificados pelo símbolo da cruz bordado em suas vestes.
b)As peregrinações em direção a Jerusalém, assim como as lutas travadas contra os muçulmanos na Península Ibérica e contra os hereges em toda a Europa Ocidental, foram justificadas e legitimadas pela Igreja.
c)O movimento cruzadista foi motivado pelo predomínio da Igreja sobre o comportamento do homem medieval.
d)Muitos nobres passaram a encarar as expedições à Terra Santa como uma real possibilidade de ampliar seus domínios territoriais.
e)As Cruzadas Medievais foram um conjunto de fatos isolados e em nada influenciaram  a superação da crise que se instalava na sociedade feudal durante a Idade Média.

05. Os cruzados avançavam em silêncio, encontrando por todas as partes ossadas humanas, trapos e bandeiras. No meio desse quadro sinistro, não puderam ver, sem estremecer de dor, o acampamento onde Gauthier havia deixado as mulheres e crianças. Lá, os cristãos tinham sido surpreendidos pelos muçulmanos, mesmo no momento em que os sacerdotes celebravam o sacrifício da Missa. As mulheres, as crianças, os velhos, todos os que a fraqueza ou a doença conservava sob as tendas, perseguidos até os altares, tinham sido levados para a escravidão ou imolados por um inimigo cruel. A multidão dos cristãos, massacrada naquele lugar, tinha ficado sem sepultura. (J. F. Michaud. História das cruzadas. São Paulo: Editora das Américas, 1956 (com adaptações)).

Foi, de fato, na sexta-feira 22 do tempo de Chaaban, do ano de 492 da Hégira, que os franj* se apossaram da Cidade Santa, após um sítio de 40 dias. Os exilados ainda tremem cada vez que falam nisso, seu olhar se esfria como se eles ainda tivessem diante dos olhos aqueles guerreiros louros, protegidos de armaduras, que espelham pelas ruas o sabre cortante, desembainhado, degolando homens, mulheres e crianças, pilhando as casas, saqueando as mesquitas.
*franj = cruzados.
 (Amin Maalouf. As Cruzadas vistas pelos árabes. 2.ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1989 (com adaptações)).

Avalie as seguintes afirmações a respeito dos textos acima, que tratam das Cruzadas.

I Os textos referem-se ao mesmo assunto — as Cruzadas, ocorridas no período medieval —, mas apresentam visões distintas sobre a realidade dos conflitos religiosos desse período histórico.
II Ambos os textos narram partes de conflitos ocorridos entre cristãos e muçulmanos durante a Idade Média e revelam como a violência contra mulheres e crianças era prática comum entre adversários.
III Ambos narram conflitos ocorridos durante as Cruzadas medievais e revelam como as disputas dessa época, apesar de ter havido alguns confrontos militares, foram resolvidas com base na idéia do respeito e da tolerância cultural e religiosa.

É correto apenas o que se afirma em
a) I.
b) II.
c) III.
d) I e II.
e) II e III.

##########################################################################################################  























 

Download: Mito e Sigificado - Levi Strauss.


LÉVI-STRAUSS, Claude. Mito e Significado. Lisboa: Edições 70, 2007.
Download: 4 Shared

############################################################################################################


Elogiando as Utopias & Cortejando o Absurdo - Albert Einstein.

Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta.

A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro.

O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.
Albert Einstein.

############################################################################################################















O que São os Mitos?


ALGUMAS DEFINIÇÕES:
1. Mito é uma narativa que busca explicar como surgiu alguma coisa, desde os seres da natureza até os homens e suas instituições sociais. Originalmente a palavre mito vem do grego mythos, que se origina de dois verbos com significados diferentes: mytheyo: narrar, contar e mytheo: conversar, anunciar (GABRIEL CHALITTA).

2. Fato, passagem dos tempos fabulosos; tradição que, sob forma de alegoria, deixa entrever um fato natural, histórico ou filosófico; (sentido figurado) coisa inacreditável, sem realidade" (DICIONÁRIO AURÉLIO).

3. O mito é uma narrativa. É um discurso, uma fala. É uma forma de as sociedades espelharem suas contradições, exprimirem seus paradoxos, dúvidas e inquietações. Pode ser visto como uma possibilidade de se refletir sobre a existência, o cosmos, as situações de "estar no mundo" ou as relações sociais.

Mas o mito não seria uma narrativa ou uma fala qualquer. Se assim o fosse ele se descaracterizaria, perderia sua especificidade. Seria tragado, submerso pelo oceano de narrativas, falas e discursos humanos. O que marca o ser humano é justamente sua particularidade de possuir e organizar símbolos que se tornam linguagens articuladas, aptas a produzir qualquer tipo de narrativa. O mito é, então, uma narrativa especial, particular, capaz de ser distinguida das demais narrativas humanas (EVERARDO ROCHA).

Diante disso, podemos avaliar que os Mitos foram as primeiras explicações criadas pelas culturas humanas em seus processos primitivos de sociedade. E de uma forma fantasiosa e mística, essas sociedades buscavam explicar sobre os fenômenos naturais e sociais, que até então, não tinham sido explicados.

O estudo dessas narrativas torna-se necessária para termos um entendimento mais amplo sobre questões filosóficas. históricas, teológicas e ciêntíficas. A Mitologia é o estudo e a interpretação dos mitos em alguma cultura. E que segundo alguns estudiosos, os Mitos podem ser:

a) Natural: Estão interligados a narrativas que buscam explicar sobre a origem do universo, do mundo e da natureza.
b) Cultural: São mitos que narram sobre questões de caráter social e humano, explicando sobre aspectos existentes na sociedade, como poder, guerras ou heróis, por meio de narrativas fantasiosas.

##########################################################################################################  




















 

sábado, agosto 13, 2011

Admirável República dos Tiriricas:Fatos Interessantes da Política Tupiniquim.

É trágico ver que a institucionalização de práticas que refletem a mais pura corrupção de recursos públicos é uma constante na Admirável República dos Tiriricas. Termos como: mensalão, superfaturamento, comissão parlamentar de inquérito, propina, licitações fraudulentas e pedágio político já estão se incorporando em nosso cotidiano de forma rápida.

No entanto, é válido ressaltar,que todos esses termos terminam sendo explicados com justificativas vazias, apesar de toda retórica aplicada, ou também, podem ser apresentadas por meio da boa desculpa de que todo e qualquer enriquecimento suspeitável, não passa de acessorias bem remuneradas. Acredito que em um futuro próximo, vamos precisar de um dicionário específico sobre todas essas novas expressões políticas, para que possamos fazer uma interpretação satisfatória sobre as fontes históricas produzidas.





 ############################################################################################################


























Olinda Terá Oficinas Sobre Educação Patrimonial.


A prefeitura de Olinda irá promover uma série de oficinas sobre educação patrimonial para estudantes e professores da cidade, visando assim, promover uma reflexão sobre a relevância que os monumento históricos detém, para o reencontro do povo olindense com a sua identidade cultural. 

Trabalhar com a população, temas relativos a  educação patrimonial, assim como, as técnicas de conservação, preservação e restauração das fontes históricas é algo de singular importância para mantermos vivos os títulos de cidade Patrimônio Cultural da Humanidade, como também, o título que a considera como a Primeira Capital Brasileira da Cultura.

E são por meio de tais ações, que os jovens olindenses vão entrar em contato direto com a sua história e poder refletir o quanto é importante o resgade das memórias e tradições do passado, para que assim, possamos ter uma compreensão mais complexa sobre a nossa contemporaneidade. De fato, a história tem que sair dos livros e dos discursos acadêmicos e se popularizar para que a nossa idêntidade se fortaleça de uma forma concreta.

Segundo informações da Prefeitura de Olinda, o projeto denominado de Guardiões do Futuro será executado por meio de 41 oficinas sobre a educação patrimonial, localizadas dentro do polígono de preservação da cidade durante esse semestre, envolvendo 30 professores e 1200 alunos.

13 de Agosto - 50 Anos da Construção do Muro de Berlim.


O famoso símbolo da Guerra Fria, construído pela Alemanha Oriental foi construído no dia 13 de Agosto de 1961 dividindo a Alemanha entre a República Democrática Alemã e a República Federal Alemã, que simbolizou claramente a disputa entre as ideias capitalistas defendidas, principalmente pelos Estados Unidos contra os países socialistas, liderados pela antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

E assim, de 1961 a 1989 as famílias alemãs vivenciaram uma rígida segregação geográfica em virtude da disputa dos dois sistemas políticos antagônicos que disputavam a hegemonia mundial após a Segunda Guerra Mundial. Podemos considerar que após a construção do muro de Berlim, a população alemã protagonizaram uma das maiores experiências negativas da contemporaneida.

domingo, agosto 07, 2011

Jornal do Commercio: Tesouro Romano Sob Sofia.




Em obras no metrô da capital búlgara, arqueólogos encontraram ruínas da cidade romana Ulpia Serdica, datando do século 4.

Escavações arqueológicas, relançadas pela construção do metrô no Centro de Sofia, estão revelando, progressivamente, a cidade romana de Ulpia Serdica, sob a capital búlgara. Esses trabalhos vêm avançando há um ano, paralelamente ao projeto de uma nova linha do metrô, fazendo aparecer vestígios bem preservados de ruas pavimentadas, prédios e banhos públicos datando do século 4, e até ruínas de uma basílica cristã.

Chegamos a cavar com a mão, para chegar a camadas arqueológicas com profundidade de 5 a 6 metros, declara o arqueólogo Mario Ivanov. O complexo subterrâneo é muito belo, e vai se transformar em uma atração turística maior, afirma. Sua abertura ao público está prevista para o outono de 2012 (no Hemisfério Norte).

As escavações atuais ampliam, sensivelmente, o sítio romano que se pode observar já há algumas décadas na passagem subterrânea entre as sedes do governo e da presidência. Uma igreja com seu domo de vidro parcialmente coberto está localizada bem abaixo do próprio pátio do palácio presidencial.

O projeto é financiado com recursos da União Europeia, avaliados em 8 milhões. A rua principal da cidade romana, em pedras quadradas, cruza o subterrâneo do bulevar. Perto daí estão os vestígios de uma mansão de alguém importante, dotada de um pátio interno e banhos. Supomos que a casa, tão bem situada, teria pertencido ao arcebispo Leontius d´Ulpia Serdica, hipótese apoiada por dois selos encontrados em seu interior... Mas não aparece nenhuma inscrição visível para confirmar, explica Ivanov.

Outra joia: os banhos públicos sobre um solo revestido de estuque rosado, e que eram aquecidos por uma tubulação de cerâmica na antiguidade, decorados por mosaicos em forma de rosácea. Esses estabelecimentos eram pagos e acessíveis somente aos mais ricos da época.

Num outro local, os arqueólogos escavaram mais profundamente e descobriram ruínas de um prédio construído em tijolos datando de meados do século 2. Vigas de uma casa de madeira ainda mais antiga, construída no século 1, foram preservadas, graças à umidade do solo. Também foram descobertas 2.500 peças de moedas muito antigas, junto com outras de tempos mais recentes, ao lado de objetos de cerâmica.

Antiga cidade trácia chamada Serdica, a atual capital da Bulgária foi conquistada pelos romanos no século 1 a.C., e recebeu, então, o nome de Ulpia Serdica. A cidade, porém, foi destruída pelos hunos no século 5 d.C. 

Fonte: Jornal do Commercio
Por: Diana Simeonova
Agência France Presse

FHC Ainda é Uma Persona Non Grata Para os Estudantes Brasileiros.


O sociólogo e ex-presidente da República por dois mandatos consecultivos ainda é citado por vários grupos de estudantes, devido a sua política de sucateamento do ensino público no país. Algumas teses apresentadas no 52º Congresso da União Nacional dos Estudantes que aconteceu na cidade de Goiânia, no último mês de julho fizeram questão de ressaltar que o movimento estudantil de hoje não pode deixar que as politicas educacionais provenientes do governo FHC retornem à realidade brasileira.

Como sabemos o movimento estudantil brasileiro foi um dos principais pilares da resistência ao regime dos generais, durante os governos provenientes da ditadura militar ocorrida entre os anos de 1964 a 1985. No entanto, após o historico processo de redemocratização política, a organização econômica do país passou a ser regida por uma orientação neoliberal que deixaram profundas mazelas na macroeconomia brasileira. Fatores como: privatizações, desemprego, inflação e baixos investimentos em setores relevantes para o desenvolvimento social do país, como educação, saúde e moradia foram realidades visíveis, a partir da década de 1980.

E diante de tal contexto, os movimentos sociais passaram a se manifestar de forma crítica e combativa a essa ideologia que pregava de fato, um Estado mínimo. E assim, passaram a ocupar novamente as ruas das principais capitais brasileiras, em defesa de um novo projeto político para o país no final do século XX.

No entanto, após 17 anos do primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso, os movimentos estudantis brasileiros ainda permanecem preocupados com um possível retorno das políticas neoliberais defendidas pela social-democracia dos tucanos (PSDB) que controlaram o Brasil por 8 anos consecultivos, sem se quer, construir pelo menos uma nova universidade federal no país, além de privatizar o ensino superior em detrimento da educação pública.

Durante o 52º Congresso da União Nacional dos Estudantes, algumas teses apresentadas por grupos de idéias políticas progressistas passaram a elencar FHC, praticamente como figura non grata, vejamos alguns exemplos:

Movimento Mutirão:
O governo do presidente Lula deu os primeiros passos nesse sentido, ao dobrar as vagas das universidades federais, distribuir quase 1 milhão de bolsas do Prouni e financiar os estudos de 500 mil estudantes pelo FIES, sem a exigência de fiador e com juros mais baixos. Além disso democratizou o acesso a essas novas vagas através das cotas sociais e raciais. Também vem substituindo o vestibular, feito sob medida para os estudantes de poucos colégios privados, pelo ENEM.
 Esssas transformações no entanto têm enfrentado uma campanha elitista e preconceituosa lançada pelos tucanos e pela imprensa golpista.Segundo eles, pobres e negros beneficiados pelas cotas não conquistaram as suas vagas por mérito, e por isso rebaixaram o nivel da universidade. Nada mais falso, pois nas 31 federais que ja adotaram as cotas, os estudantes beneficiados por elas tiveram notas equivalentes, e em vários casos superiores, quando comparadas às dos não cotistas, segundo resultado do último ENADE. No caso dos bolsistas do Prouni, suas notas foram em média superiores às do restante dos estudantes.
A base desse discurso, foi o mantra que norteou o governo FHC, de que o Estado é "ineficiente e perdulário", e que por isso deve ser privatizado. O seu resultado prático foi a falência da universidade pública, que além de não abrir novas vagas, cortou verbas para investimento e congelou por oito anos o salário dos servidores.

 Movimento UNE é Pra Lutar:
O povo elegeu Dilma para ver suas reivindicações atendidas. Para isso o governo precisa adotar medidas de soberania, e isso passa por cancelar a privatização dos aeroportos, vetar o novo código florestal que serbe aos latifundiários e empresários. Passa por reestatizar empresas privadas como a Vale - vendida  a preço banana pelo ex-presidente tucano FHC. Pelo fim do pagamento da dívida e pela reversão desses cortes para atender as rivindicações.
O Estado não pode abandonar os estudantes das universidades privadas a própria sorte ou desmandos dos tubarões de ensino. Para eles, nem se quer existe qualquer política de assistência estudantil, por exemplo. Os donos das faculdades seguem aumentando as mensalidades e impedindo muitos estudantes inadimplentes de se matricular, com base na lei "mui amiga" instituída pelo ex-presidente FHC.
É preciso lutar contra o aumento de mensalidades, em defesa da qualidade do ensino, pela revogação da lei de FHC que impede os estudantes de se matricular e por uma política efetiva de assistência estudantil por parte do Estado, que não seja transferência de verba pública para iniciativa privada! Tudo isso sem abandonar a nossa perspectiva histórica, que é que todos tenham acesso a universidade pública.

Movimento Contraponto:
 É essencial garantir os 10% do PIB para a educação. O PL n. 8035/10 apresenta a meta de somente 7% do PIB para a educação até 2020. É muito baixo do que inclusive foi debatido na CONAE, que aprovou 10%. O MEC propôs o mesmo aprovado pelo o último Plano Nacional de Educação, dez anos atrás, vetado por FHC. Esse valor ja era insuficiente em 2010, quem dirá em 2020.

 Movimento Rompendo Amarras:
Em 2011, será aprovado o novo Plano Nacional de Educação, que balizará as diretrizes do setor para a próxima década. Longe de atender a demanda por 10% do PIB para a educação, Dilma mantém o veto de FHC ao aumento de verbas para a educação e defende meta de somente 7% até 2021.

Enfim, como podemos ver, vários foram os movimentos que permanecem externando as mazelas do governo de Fernando Henrique Cardoso para o país, em especial para a educação. Essa preocupação torna-se bastante válida para os nossos dias, uma vez que, a política de FHC, de fato, representou um ataque à educação pública brasileira. E não podemos conceber um projeto nacional de desenvolvimento sem pensar em um sistema de financiamento eficaz para a nossa educação pública.
############################################################################################################



























sábado, agosto 06, 2011

06 de Agosto: Dia de São Salvador do Mundo.

Catedral de São Salvador do Mundo - Alto de Sé/Olinda.
Hoje a população de Olinda comemora o dia de São Salvador do Mundo, padroeiro da cidade que sempre é celebrado com programações religiosas na famosa igreja da Sé, cujo o nome oficial é Catedral de São Salvador do Mundo. Geralmente as comemorações religiosas envolvem procissões e repique dos sinos da catedral no início da manhã.

06 de Agosto - 66 Anos da Bomba Atômica em Hiroshima.

 "Vimos uma nuvem a subir. (...) Estávamos a 33 mil pés e a nuvem estava lá e continuava a subir em ebulição, como se estivesse a rolar e a ferver. A superfície não passava de um ponto negro em ebulição. A única comparação possível é com um barril de alcatrão. Era isso o que parecia. Onde antes estava uma cidade com casas, prédios e tudo o que se via àquela altitude, agora só se viam destroços pretos e em ebulição lá em baixo".
(Paul Tibbets, sobrevivente de Hiroshima)
http://obviousmag.org

Há 66 anos o mundo testemunhou um dos maiores episódios de destruição que marcara os últimos momentos da Segunda Grande Guerra. No dia 06 de Agosto de 1945, o presidente americano Harry Truman autorizou uma série de ataques nucleares contra o império japonês. A bomba atômica, denominada de little boy  caiu sobre Hiroshima, deixando um saldo superior a 140 mil mortes na cidade.

sexta-feira, agosto 05, 2011

CURIOSIDADES: Celso Amorim e o Barão de Rio Branco.



Celso Amorim (atual ministro da defesa) foi o ministro que mais dias ocupou o cargo de ministro das relações exteriores na história do Brasil, ultrapassando o barão de Rio Branco, o patrono da diplomacia brasileira.

quinta-feira, agosto 04, 2011

Descoberto Crânio de 20 milhões de Anos.


Uma equipe de arqueólogos de Uganda e França divulgou ontem a descoberta de um crânio de macaco de 20 milhões de anos no nordeste de Uganda, acrescentando que o feito pode contribuir com os estudos sobre a evolução na região.

Esta é a primeira vez que um crânio completo de um macaco dessa idade é descoberto. É um fóssil de extrema importância, que irá colocar Uganda no mapa do mundo científico, afirmou o paleontólogo Martin Pickford, do College de France, de Paris.

O crânio fossilizado pertenceu a um Ugandapitchecus major, primo remoto dos grandes símios atuais, que viveu na região há cerca de 20 milhões de anos. A equipe descobriu os restos em 18 de julho, quando procurava fósseis nas proximidades de um vulcão extinto, na região remota de Karamoja, no nordeste de Uganda.

Estudos preliminares do fóssil mostram que se tratava de um herbívoro que subia em árvores, e que morreu quando tinha cerca de 10 anos. Ele possuía a cabeça do tamanho da de um chimpanzé, e o cérebro do tamanho do de um babuíno, disse Pickford.

A professora Brigitte Senut, do Musee National d"Histoire, informou que os restos serão levados até Paris para serem examinados e documentados, antes de serem trazidos de volta a Uganda, em cerca de um ano. Há 25 anos, paleontólogos da França visitam Uganda em expedições financiadas pelo governo francês, contou a professora. Região menos desenvolvida de Uganda, as planícies áridas de Karamoja têm sido pacificadas nos últimos anos, após décadas de insegurança ligada a um conflito entre comunidades nômades.

Fonte da Matéria: Jornal do Commercio.
Foto: http:g1.globo.com